sexta-feira, 29 de outubro de 2010

SAUDAÇÃO SEGUNDA.

"Fostes louvados, meus livros,
           porque eu acabara de chegar do interior;
Eu estava atrasado vinte anos
           e por isso encontrastes um público preparado.
Não vos renego,
           Não renegueis vossa progênie.

Aqui estão eles sem rebuscados artifícios,
Aqui estão eles sem nada de arcaico.
Observai a irritação geral:

"Então é isto", dizem eles, "o contra-senso
            que esperamos dos poetas?"
"Onde está o Pitoresco?"
            "Onde a vertigem da emoção?"
"Não ! O primeiro livro dele era melhor."
            "Pobre Coitado ! perdeu as ilusões."

Ide, pequenas canções nuas e impudentes,
Ide com um pé ligeiro !
(Ou com dois pés ligeiros, se quiserdes !)
Ide e dançai despudoradamente !
Ide com travessuras impertinentes !

Cumprimentai os graves, os indigestos,
Saudai-os pondo a língua para fora.
Aqui estão vossos guisos, vossos confetti.
Ide ! rejuvenescei as coisas !
Rejuvenescei até The Spectator.
          Ide com vaias e assobios !

Dançai a dança do phallus
          contai anedotas de Cibele !
Falai da conduta indecorosa dos Deuses !

Levantai as saias das pudicas,
          falai de seus joelhos e tornozelos.
Mas sobretudo, ide às pessoas práticas -
Dizei-lhes que não trabalhais
          e que viverei eternamente."

- Ezra Pound -
(tradução de Mário Faustino)
.........................

Poeta e crítico norte-americano (30/10/1885 ). Desenvolve um dos principais estudos sobre literatura moderna, criando critérios para análise da poesia baseados na ciência. Nascido em Hailey, no estado de Idaho, Ezra Loomis Pound forma-se em filosofia e estuda várias línguas, além de gramática e literatura inglesas.
Em 1908 muda-se para Londres. Lá faz amizade com os poetas William Butler Yeats e T.S. Eliot, que ajuda a tornar conhecidos. Escreve sobre literatura para pequenos jornais londrinos e publica, em 1909, Personae  e Exultations e, no ano seguinte, The Spirit of Romance  (O Espírito das Línguas Românicas).
 Entre 1912 e 1914 torna-se líder do movimento imagista, que prega que a poesia deve ter uma eficácia informativa, sem excessos nem rebuscamentos, e dizer o máximo possível com o mínimo de palavras. Em 1925, na Itália, publica o primeiro volume de Cantos, sua principal obra, que havia começado em 1915 e só finaliza em 1960.
 Durante a II Guerra Mundial (1939-1945), declara-se favorável às idéias fascistas e é internado sob o pretexto de ter problemas mentais. Morre em Veneza, na Itália em 01/11/1972.

4 comentários:

  1. Silvana, Silvana. Passar aqui hoje foi uma verdadeira aula. Seu post está mais que completo. A poesia escolhida é maravilhosa e as explicações só nos engrandecem. Muito grato mesmo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ola minha querida irmã, Graça e paz.

    Muito interessante seu blog, estou lhe seguindo se desejares conheceres Uma Mensagem edificante para alma. Será um prazer tê-la como visitante e seguidora.
    Deus te abençoe ricamente

    Josiel Dias
    Mensagem Edificante para Alma
    http://josiel-dias.blogspot.

    ResponderExcluir