domingo, 10 de outubro de 2010

COM LICENÇA POÉTICA.

"Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo.  Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou".

- Adélia Prado -

(Adélia Luzia Prado Freitas nasceu em Divinópolis, Minas Gerais, no dia 13 de dezembro de 1935).
......................................

POEMA DE SETE FACES


"Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

As casas espiam os homens
que correm atrás de mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos , raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode.

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo
se eu me chamasse Raimundo,
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.
Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo".

- Carlos Drummond de Andrade -

(Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. Morreu no Rio de Janeiro, no dia 17 de agosto de 1987, poucos dias após a morte de sua filha única, a cronista Maria Julieta Drummond de Andrade).

..............................


ATÉ O FIM

“Quando nasci veio um anjo safado
O chato do querubim
E decretou que eu estava predestinado
A ser errado assim
Já de saída a minha estrada entortou
Mas vou até o fim
“inda” garoto deixei de ir à escola
Cassaram meu boletim
Não sou ladrão , eu não sou bom de bola
Nem posso ouvir clarim
Um bom futuro é o que jamais me esperou
Mas vou até o fim
Eu bem que tenho ensaiado um progresso
Virei cantor de festim
Mamãe contou que eu faço um bruto sucesso
Em quixeramobim
Não sei como o maracatu começou
Mas vou até o fim
Por conta de umas questões paralelas
Quebraram meu bandolim
Não querem mais ouvir as minhas mazelas
E a minha voz chinfrim
Criei barriga, a minha mula empacou
Mas vou até o fim
Não tem cigarro acabou minha renda
Deu praga no meu capim
Minha mulher fugiu com o dono da venda
O que será de mim ?
Eu já nem lembro “pronde” mesmo que eu vou
Mas vou até o fim
Como já disse era um anjo safado
O chato dum querubim
Que decretou que eu estava predestinado
A ser todo ruim
Já de saída a minha estrada entortou
Mas vou até o fim”

- Chico Buarque de Hollanda -

(Francisco Buarque de Hollanda nasceu no Rio de Janeiro, em 19 de junho de 1944).

17 comentários:

  1. Esses diálogos poéticos são qualquer coisa. Chamam de intertextualidade, mas é mais que isso. E agora me lembrei daquela música do Chico, "quando nasci veio um anjo safado, o chato dum querubim e decretou que eu tava predestinado a ser errado assim. Já de saída a minha estrada entortou, mas vou até o fim."

    ResponderExcluir
  2. Gostei dos poemas. Leves criticos e bem humurados.

    ResponderExcluir
  3. É, Silvana, desta vez você nos brindou para valer. Três anjos, três belos caminhos. Muita poesia e genialidade! Presente para domingo, dia de contemplação. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Poemas lindos!! De fato escolhidos a dedo!!

    Parabéns e obrigado por compartilhar!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. É nada como ter um anjo nós dizendo algumma coisa...Pena que cresci e não ouso mais os anjos(rs), belos poemas.
    Bjs, tenha um excelente final de semana.

    ResponderExcluir
  6. Os poetas são canais da divindade que está em todos nós! Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Silvana querida, não precisa publicar este comentário. Estou aqui apenas para dizer-lhe que vi que você visitou o blog por mim sugerido e fico feliz que tenha gostado. É um espaço inteligente mesmo! Aliás, no meu blog, faço uma homenagem a ele, Foureaux, sob o título 'Ele é brilhante!'. Passe por lá e conhecerá um pouco mais do meu amigo. Beijos para você, com carinho, e um bom feriado!
    Angela
    http://noticiasdacozinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Adélia, Drummond, Chico... ai que maravilha =D

    beijos querida e obrigada por visitar meu Reino!

    ResponderExcluir
  9. Obrigado a você pelo retorno. Vamos ficar em contato, sim! Estou aqui em seu "caderno"! Parabéns por seu trabalho!
    Abraço
    ;-)

    PS: viva N. Sra. Aparecida!

    ResponderExcluir
  10. É isso aí, maravilhosos versos...
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Fiquei encantada. Colocou no mesmo post 3 gênios que eu amo. Perfeito.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo Blog...obrigado pela visita volte sempre abraços...de um educador paulista que sofre com o governo do PSDB

    ResponderExcluir
  13. AMEI SEU CANTINHO....
    Mefez esquecer um pouquinhos os momentos que estou enfrentando e viajar pela poesia foi muito bom...
    Se não se importa virarei uma seguidora de ti...
    Beijoss...

    ResponderExcluir
  14. Três poetas, três contadores, três sensações. Quanta coisa boa num lugar só... rsrs

    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Quando leio posias me sinti mais calma e sentimental( que já sou).
    Gostodaquidemais.bjos

    ResponderExcluir