terça-feira, 1 de março de 2011

TRADUZIR-SE.


"Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

"Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
-que é uma questão
de vida ou morte-
será arte?

(Ferreira Gullar)

8 comentários:

  1. E todos somos assim uma peça em duas partes que sempre serão algo inacabado ou que aguardam a ligação para que se façam num todo.

    ResponderExcluir
  2. Silvana, todos nós temos uma ligação com dois pontos, onde muita as vezes nos dividimos, ficamos a "discutir" conosco mesmo...

    Paz e Bem!!

    ResponderExcluir
  3. Seu blog e excelente, seus textos também são ótimos, vou tentar me inspirar no seu blog para melhorar o meu, se quiser depois e só da uma olhada o link ta logo a baixo: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Blog leve, lindo e solto! As postagem são seletas e de uma cultura imensa.
    Beijos e vou te seguir.

    ResponderExcluir
  5. Muito inspirador! Excelente post!
    Bjs.

    ResponderExcluir