sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A VINGANÇA DA PORTA.


Era um hábito antigo que ele tinha:
entrar dando com a porta nos batentes
— "Que te fez esta porta?" a mulher vinha
e interrogava... Ele, cerrando os dentes:

— "Nada! Traze o jantar." — Mas à noitinha
calmava-se; feliz, os inocentes
olhos revê da filha e a cabecinha
lhe afaga, a rir, com as rudes mãos trementes.

Uma vez, ao tornar à casa, quando
erguia a aldrava, o coração lhe fala
— "Entra mais devagar..." Pára, hesitando...

Nisso nos gonzos range a velha porta,
ri-se, escancara-se. E ele vê na sala
a mulher como doida e a filha morta.

- Alberto de Oliveira - 

.............................

Alberto de Oliveira (1857-1937) publicou seu primeiro livro de poesia, "Canções Românticas", em 1878. Na época, trabalhava como colaborador do Diário, com verso e prosa, sob o pseudônimo Atta Troll. Em 1883 conheceu Olavo Bilac e Raimundo Correia, com os quais formaria a tríade do Parnasianismo brasileiro. Formou-se em Farmácia, no Rio, em 1884. Iniciou o curso de Medicina, mas não chegou a conclui-lo. Na época, publicou "Meridionais" (1884), e em seguida "Sonetos e Poemas" (1886) e "Versos e Rimas" (1895). Foi inspetor e diretor da Instrução Pública Estadual e Professor de Português e História Literária no Colégio Pio-Americano. Em 1897 tornou-se membro-fundador da Academia Brasileira de Letras. Publicou "Lira Acaciana" (1900), "Poesias" (1905), "Ramo de Árvore" (1922), entre outras obras poéticas. Foi eleito "Príncipe dos Poetas Brasileiros", em 1924, por concurso da revista Fon-Fon. Em 1978 foram publicadas suas "Poesias Completas". Alberto de Oliveira é um dos maiores nomes da poesia parnasiana no Brasil.

5 comentários:

  1. Gostei das informações não conhecia o Alberto de Oliveira, valeu.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Olá Silvana!
    linda postagem de homenagem a Alberto de Oliveira.Parabens!!!
    Bom fim de semana,
    Beijinhos de carinho e amizade,
    Lourenço

    ResponderExcluir
  3. Silvana, passar por aqui é aprender sempre. Não o conhecia. Apesar de triste, o texto é de uma beleza... Beijos e bom fim de semana.
    Apareça lá no meu cantinho!

    ResponderExcluir
  4. querida amiga,
    adorei também não conhecia alberto de oliveira.
    profundo...
    estou com saudades vc sumiu.
    linda semana com bjos.
    o edson me visitou rsrsr

    ResponderExcluir